Nossas Rádios:

Braz Paulo analisa crise no PSDB e a busca de João Doria pela candidatura à Presidência da República

Segundo, o professor e comunicador, algumas pessoas afirmam que o PSDB está em um momento melancólico

Nesta segunda-feira, 16 de maio, o comentarista do Sistema Clube, Professor Braz Paulo, fez uma análise do atual cenário político, envolvendo a crise no PSDB.

Segundo, o professor e comunicador, algumas pessoas afirmam que o PSDB está em um momento melancólico e vive em 2022 o seu ocaso, quase o seu fim.

“Não acaba totalmente, mas é preciso olhar um pouco a história. E o que a história diz? O PSDB, foi o partido que consolidou o plano real, foi o partido que consolidou controle da inflação e foram dois mandatos do Fernando Henrique, posterior a isso veio o PT, e sempre com uma luta muito grande entre PT e PSDB e por mais que tivéssemos outros partidos, tinhamos inclusive em Minas Gerais uma força muito grande desses dois grupos,” contextualizou o comunicador.

Após analisar esse cenário, Braz Paulo, relembrou a última eleição ao governo de Minas Gerais, onde em uma disputa entre PT e PSDB quem ganhou foi o partido NOVO.

“Isso já aconteceu nesse escopo de profunda rejeição tanto ao PSDB recheado de escândalos, quanto ao PT que nem se fala, ao mesmo tempo em termos nacionais, podemos observar que tivemos basicamente quatro mandatos do PT, que sempre era o PSDB o grande rival, mas que após o impeachment da Dilma, o PSDB encolheu muito, foi uma vitória que não agregou nada, o PSDB não conseguiu criar uma grande nome,” afirmou Braz Paulo.

Neste sentindo, o comentarista afirma que o Partido da Social Democracia Brasileira, apesar de lutar muito contra o Partidos dos Trabalhadores e ajudar eleger Bolsonaro, não conseguiu se manter nos holofortes, tendo a figura figura mais proeminente do partido, o ex-prefeito de São Paulo, João Doria.

“Ele governou São Paulo, mas sempre pensando na Presidência da República, isso foi um grande erro, óbvio que é minha opinião, porque estava claro que todo movimento dentro de São Paulo era a busca de se ter uma projeção nacional, então não era realmente genuíno, era muito marketing, era muita maquiagem, tinha muito pouco de real e agora temos o PSDB que talvez sua maior contribuição para essa eleição é de um ex-quadro que não está no PSDB, que é o Alckmin, popular Picolé de Chuchu que entrou na Chapa e está ao lado de Lula,” completou o comentarista.

Braz Paulo ainda destacou que em relação a uma possível candidatura de João Doria, ele acredita que ficou muito claro que o próprio PSDB não está muito entusiasmado em ter candidato nenhum.

“Aliás existe toda uma ala do PSDB buscando quem sabe fornecer um vice para outra chapa e talvez nem disputar e focar nas eleições nos quadros do legislativo,” afirmou o comunicador.

Porém Braz Paulo ressalta que mesmo não estando dentro dos planos do partido, Doria continua querendo ser candidato e alega ter sido traído. Uma reunião está marcada para a próxima terça-feira (17), e o ex-prefeito de São Paulo promete chegar com os dois “pés na porta”, amparado por um documento assinado pelo PSDB dizendo que ele seria candidato após ganhar as prévias. “É duro ser candidato de si mesmo” finalizou o comentarista.

Confira a entrevista na íntegra:

<a href="arquivo.clubenoticia.com.br" target="_blank">Veja mais em nosso arquivo!</a>