Presidente e relator da CPI da Copasa são definidos durante reunião da Câmara Municipal

logo-face
logo-face
Presidente e relator da CPI da Copasa são definidos durante reunião da Câmara Municipal

Na reunião ordinária da Câmara Municipal de Patos de Minas, desta quinta-feira (10/06), os membros indicados pelos líderes partidários para comporem a Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI/01/2021, que vai apurar denúncia de possíveis irregularidades na prestação dos serviços da Copasa no Município, escolheram a vereadora Elizabeth Maria Nascimento e Silva (DEM), como presidente e o vereador José Eustáquio Faria Junior (PODEMOS) como relator.

É importante ressaltar que os membros da CPI terão 120 dias para concluir as investigações, podendo esse prazo ser prorrogado por até 60 dias.

A Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI/01/2021 foi composta pelos seguintes parlamentares:

Mauri Sérgio Rodrigues – Mauri da JL – MDB;

Elizabeth Maria Nascimento e Silva – DEM;

Lásaro Borges de Oliveira – PSD;

José Eustáquio Faria Junior – PODEMOS;

José Luiz Borges Junior – PODEMOS.

Sobre a CPI:

Os vereadores da Câmara Municipal de Patos de Minas deferiram a instauração da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na reunião ordinária, realizada no dia 27 de maio. Os membros da CPI vão investigar denúncia de possíveis irregularidades na prestação dos serviços da Copasa no Município de Patos de Minas.

O requerimento para a instauração da CPI foi assinado pelos vereadores Mauri Sérgio Rodrigues - Mauri da JL, Marcos Antônio Rodrigues - Marquim das Bananas, Bartolomeu Ferreira Ribeiro, José Luiz Borges Júnior, Gladston Gabriel da Silva e Wilian de Campos.

A abertura da CPI considerou uma denúncia que chegou à Câmara Municipal relatando possível descumprimento do contrato existente entre o Município e a Copasa. Os parlamentares também consideraram problemas verificados na prestação dos serviços de abastecimento de água e tratamento de esgoto no Município. A finalidade é apurar a denúncia, verificar possíveis irregularidades e exigir o fiel cumprimento do contrato entre o Município e a Copasa.

Foto: Arquivo Câmara Municipal de Patos de Minas

Comentários