Presidente da URT fala em ações para evitar penhoras de bens

logo-face
logo-face
Presidente da URT fala em ações para evitar penhoras de bens

A União Recreativa dos Trabalhadores, URT, tem uma dívida que já ultrapassa R$1 milhão. A Justiça reconheceu a dívida e praticamente não há mais forma de recorrer nos meios judiciais. A ação foi proposta pelo autônomo Nelson Antônio Campos no dia 21 de dezembro de 2018, ele alegou que era credor da URT e que o clube tinha uma dívida com ele no valor de R$490.223,81. Para comprovar, Nelson apresentou à justiça 11 folhas de cheques pré-datados do período de 19 de janeiro de 2018 a 1º de março de 2018, sendo dez de R$40 mil reais e uma de R$70 mil. Segundo a petição, foram feitas diversas tentativas para receber o valor, mas não houve sucesso, o que acabou resultando na ação judicial.

A atual presidente da URT Maria Isabel Pimenta, participou do programa Bola na Rede, da Rádio Clube98 e comentou sobre a dívida. Segundo ela os cheques datados que foram ingressados na justiça são 21 de dezembro de 2017 e alguns do inicio de janeiro 2018. “Tem uma declaração do conselho fiscal dentro do processo que não conseguiu identificar esses depósitos na conta bancaria da URT e por isso ele fez um relatório dizendo que não reconhecia essa dívida nos 10 cheques de R$40 mil cada”, disse. Na época quem administrava o clube era o Conselho Gestor, e tinha duas pessoas que poderia assinar pela URT. “Então não sei informar no momento o que foi pago, quero acreditar que foi pago salario de atleta e comissão técnica. Por isso a URT não tinha condições financeiras para sanar, é direito de o credor entrar na justiça e reconhecer os cheques. Hoje a URT trabalha para encontrar alguma coisa a mais, para ficar consciente que foram pago o que tinha que ser pago na época”, informou.

O Advogado da URT, Thiago Alves Lima também participou do programa, e falou sobre o processo “Essa divida é originaria de 2017 para 2018, cheques emitidos pelo clube, e perante o conselho fiscal do clube, essa divida não foi reconhecida. Então desde o primeiro momento o clube não teve nenhum tipo de posicionamento de ter acordo, uma vez que não reconhecia tal dívida”, afirmou. O credor fez um ingresso de uma ação monitória, para ver reconhecida a validade desses cheques e assim começar uma execução. “Durante o processo fizemos todas as nossas defesas que tínhamos em nossas mãos, porém, a justiça reconheceu a validade dos cheques. E então o credor iniciou a execução”, disse. O advogado também afirmou que a URT tem a divida para pagar, mas que tentará a impugnação da mesma.

A decisão de como será pago o compromisso sairá numa reunião na semana que vem com toda a diretoria e o conselho deliberativo da URT. “Devido à pandemia não fizemos reuniões com toda a diretoria, porque é difícil reunir os 17 conselheiros. Temos que ter medo desse vírus, mas no mais tardar na próxima semana, vamos reunir e aguardar essa impugnação, mas já está certo que temos essa dívida. Vamos trabalhar, para sanar essa dívida nos próximos meses”, concluiu.

Foto: arquivo Clube Notícia.

Comentários