Luzes no céu de Patos de Minas movimentam as redes sociais, especialista esclarece que são satélites Starlink

logo-face
logo-face
Luzes no céu de Patos de Minas movimentam as redes sociais, especialista esclarece que são satélites Starlink

Neste domingo (02/05), muitas pessoas comentaram nas redes sociais sobre um cordão de luzes que foi visto no céu de Patos de Minas, no início da noite, por volta das 18:30hs.

Nos comentários das redes sociais inúmeras teorias foram levantadas sobre as luzes que apareceram no céu da Capital do Milho.

Para entender o fenômeno que estava sendo comentado, o jornalismo da Rádio Clube 98 conversou com Ivan Soares do observatório IDS de Patos de Minas, que esclareceu que as luzes tão comentadas nas redes sociais e aplicativos de mensagens, são satélites Starlink.

O que é Starlink?

O projeto encabeçado por Elon Musk, fundador da SpaceX, tem como meta oferecer internet rápida e abrangente via satélite. O Starlink usa tecnologias que garantem redução de custos para os clientes e maior abrangência nas prestação do serviço.

Cada satélite tem quatro antenas de alto desempenho. Agindo de forma combinada, os sinais são transmitidos rapidamente e com custos reduzidos. Os milhares de satélites que serão colocados em órbita formarão uma rede ampla e alta capacidade, atingindo regiões que as operadoras atuais de telecomunicação ainda não alcançam.

Os satélites do Starlink têm formato de painel plano, pesam 260 kg e estarão em baixas altitudes, de 550 km, para que possam se desintegrar na atmosfera mais rapidamente quando entrarem em desuso. 

Da mesma forma que proporcionam belas imagens. é necessário  ressaltar que a atual constelação de satélites Starlink já atrapalha observações astronômicas. No momento que passam acima das lentes de telescópios, eles prejudicam bastante as observações.

Com Informações: TecnoBlog

Vídeo 1 - Câmera 5 do observatório IDS

Vídeo 2 - Gravado em Canitar -  SP por luciano Miguel Diniz

Fotos: Ivan Soares do observatório IDS de Patos de Minas

Foto Capa: câmera 5 do observatório IDS pega o zênite do céu 

Foto  2- câmera 6 do observatório  pega nordeste do céu 

Foto 3 - Registro camêra DSLR por Ivan Soares do observatório IDS 

Foto 4 - câmera 7 apontada para leste

               

Comentários