Vereadores se revoltam com imprensa por divulgação de projeto de reajuste salarial

logo-face
logo-face
Vereadores se revoltam com imprensa por divulgação de projeto de reajuste salarial

Na última reunião da Câmara Municipal de Patos de Minas realizada nessa quinta-feira (29/04), alguns vereadores favoráveis ao projeto de reajuste e revisão das perdas inflacionárias de seus salários (em poucas palavras, aumento salarial) colocado em votação na reunião extraordinária do dia 22 de abril, pós feriado de Tiradentes, revelaram estar revoltados com a imprensa patense pela divulgação, “mentirosa” segundo os vereadores, do projeto de lei.

Relembre o caso

Dois projetos de lei foram colocados em pauta de surpresa na Sessão Extraordinária da Câmara Municipal de Patos de Minas na tarde desta quinta-feira (22/04).

O primeiro (nº 5226/2021) estabelece o reajuste do salário do vereador em 5,45%. Atualmente o valor bruto é de R$ 10.109,30 mensais, com o aumento passaria para R$ 10.660,25 (acréscimo de R$ 550,95). Clique aqui e acesse a íntegra do PL.

O segundo projeto (nº 5227/2021) prevê o reajuste de 5,45% do salário do prefeito, vice-prefeito, Secretário Municipal, Procurador-geral e Controlador Geral do município de Patos de Minas. Atualmente o salário bruto do prefeito é de R$ 20.569,57 mensais, com o aumento passaria para R$ 21.690,61 (acréscimo de R$ 1.121,04). Em fevereiro, Falcão e Sandra Gomes anunciaram a redução de 50% de seus salários por três meses, medida vale até maio. Clique aqui e acesse a íntegra do PL.

Os dois projetos (5226 e 5227) contam com a assinatura dos seguintes parlamentares: O PL é assinado por Bartolomeu Ferreira, Daniel Amorim, Gladston Gabriel, Itamar André, João Marra, Cabo Batista, Carlito, José Eustáquio, Lásaro Borges, Marquim das Bananas, Mauri da JL e Vicente de Paula.

O projeto que prevê o reajuste dos vereadores foi aprovado em 1º turno por 13 votos. Os votos contrários foram dos vereadores Elizabeth Maria Nascimento e Silva; José Luiz Borges Júnior e Vitor Porto Fonseca Gonçalves

José Luiz (PODEMOS) tentou pedir vista do projeto (5226/2021) em 1º turno mas foi impedido por alguns colegas que informaram que pelo regimento interno o pedido deveria ter sido feito antes do início da votação. Agora o texto está em vista para o 2º turno.

A matéria a respeito do reajuste de salário dos gestores municipais está sob vista de José Luiz.

Com informações do jornalista Lélis Felix.

Comentários