Covid-19: prefeitura envia projeto de lei e assina protocolos de intenção para comprar vacinas

logo-face
logo-face
Covid-19: prefeitura envia projeto de lei e assina protocolos de intenção para comprar vacinas

Na tarde desta terça-feira (16), o prefeito de Patos de Minas, Luís Eduardo Falcão, enviou para a Câmara Municipal projeto de lei que inclui a cidade no consórcio da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), o qual visa  facilitar a compra de vacinas contra a Covid-19 em todo o país. 

Patos é uma das 503 cidades mineiras que assinou a carta de intenções e agora prepara os trâmites finais para aderir ao movimento, cujo objetivo é imunizar mais rapidamente a população. 

Além disso, o prefeito reuniu-se com representantes da vacina AstraZeneca/Oxford para tratar da compra dos imunizantes. Na semana anterior, Falcão também manteve tratativas com representantes da Sputnik V, da Rússia, para que o município possa adquirir essa vacina. 

Comentários

  • Na Real

    Comentário enviado em - 17/03/2021

    "O PREFEITO DENOREX", é um verdadeiro "Falsão" mesmo, agora além de ser "INCOMPETENTE, é também um grandíssimo "DEMAGOGO", quer comprar aquilo que não esta tendo á disposição no mercado para comprar, mas deve ser para ele meter á mão, já que recebeu da "CÂMARA DE VEREADORES VIGARISTA", á decretação de "CALAMIDADE PUBLICA", aonde ele não precisa prestar conta! Agora ele vai tirar dinheiro aonde para fazer estes gastos, já que os empresários pagadores de impostos, já estão com á água chegando no nariz! O "TRATAMENTO INICIAL", está aí cheio de comprovação que dá resultado, mas á "VACINA", que não tem comprovação de eficácia, e aonde já foi divulgado pela "ORAGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE" de 1.225 casos de mortes, de 102.379 casos de complicação pela vacina é que é á solução; eles não enxergam que depois que passaram á vacinar á população, e depois da população, ficar mais de um ano usando á ineficiente máscara, que os casos estão explodindo... mas isto não interessa ver! Os dados da "ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE", SÃO ATÉ O DIA 23/02/2021, para que nenhum paspalho venha depois dizer que os dados são "FAKE NEWS"!