Prefeitura suspende intervenção no Hospital São Lucas

logo-face
logo-face
Prefeitura suspende intervenção no Hospital São Lucas

Em coletiva de imprensa realizada na tarde desta segunda-feira (1º), a Prefeitura de Patos de Minas anunciou a suspensão da intervenção judicial no Hospital São Lucas. Segundo relatório técnico da Secretaria Municipal de Saúde, há ausência de equipamentos e medicamentos essenciais para a manutenção e suporte da vida. 

Estão em falta na unidade, por exemplo, oxímetros, cabos para monitorização multiparâmetros, aparelhos de pressão não invasiva e respiradores, aspirador portátil e desfibriladores. Foram constatados também outros problemas, como fototerapias com poucas lâmpadas e número insuficiente de incubadoras, monitores e ventiladores. Quanto aos materiais disponibilizados, há falta de equipamentos de proteção individual (EPIs), medicamentos e insumos médico-hospitalares.

Apesar de o São Lucas estar credenciado pelo SUS Fácil para atendimento de pacientes com Covid-19, os técnicos da prefeitura verificaram a falta de itens essenciais para garantir a assistência adequada, entre eles válvula reguladora de oxigênio e ar comprimido, bomba de infusão, cabos de energia e oxímetros nos monitores, estetoscópio e termômetro. Além disso, não há ligação de água para utilização nas máquinas de hemodiálise, e a canalização do vácuo não está funcional.

Quanto à rede de oxigênio e vácuo do hospital, há problemas na distribuição para todos os leitos de UTI. Há três usinas de produção de oxigênio, no entanto somente uma está produzindo o gás e em quantitativo insuficiente para o número de leitos já existentes, o que justifica a baixa taxa de ocupação. Caso fossem admitidos pacientes com Covid-19, patologia que leva à dependência de oxigênio, haveria sobrecarga na rede de distribuição de gases, o que acarretaria pane e poderia provocar óbitos dos usuários por hipóxia. 

Toda a vistoria foi realizada com a presença de profissionais especializados da Secretaria de Saúde, além de representantes da Superintendência Regional de Saúde, da Comissão de Saúde da Câmara Municipal de Patos de Minas e da presidente do Conselho Municipal de Saúde. 

Com a suspensão da intervenção no Hospital São Lucas, as atenções da prefeitura voltam-se mais uma vez para o Hospital de Campanha. Na última sexta-feira (26), por meio de doação da FIEMG, foi possível iniciar a montagem de mais seis leitos de UTI. Além disso, o Executivo trabalha para que, nos próximos dias, o número de leitos seja mais uma vez ampliado. 

Atualmente, o Hospital de Campanha oferece 46 vagas para internação, sendo que o número de UTIs passou de nove para 20 leitos somente de janeiro de 2021 para agora. A unidade também conta com dez leitos intermediários com respiradores e 16 leitos clínicos.

Na última semana, por iniciativa dos promotores da Beats Patos, o HC também teve o seu espaço de atendimento ampliado com a instalação de uma estrutura que permitirá mais conforto para os pacientes em observação e triagem. 

O poder público municipal reafirma o seu compromisso em garantir o atendimento a todos os pacientes e em fortalecer, cada dia mais, o sistema de saúde do município. 

Fonte: Ascom Prefeitura de Patos de Minas
Fotos: Guilherme Camargos

Comentários

  • Na Real

    Comentário enviado em - 02/03/2021

    Eu já perguntei, e vou voltar a perguntar: Qual é a qualificação da "SUPERINTENDENTE DA SECRETÁRIA REGIONAL DE SAÚDE?! Agora Sr. "Prefeito Denorex", fazer intervenção Judicial em um Hospital Como o "Albert Einstein, ou Sírio Libanês", até eu! Você acha que se o "São Lucas, estivessem em boas condições, rendendo dividendo, o "Sergio Piau", ia aceitar esta intervenção sem chiar; acabei de crer que você além de "Quadrupede, de cavalgadura, é na verdade um imbecil completo"! Agora quem são os técnicos da área da Saúde que fez esta avaliação, os médicos que atendem nos postos de saúde! Lá tem tanto cego, que para eles saber de medicina, vivem pesquisando no Google! Então para ver que você caiu do caminhão de mudança... e que queda, direto na cadeira de Mandatário Mor do município; não sabe pra que está lá, mas vai recebendo o salário que não merece, mas colocaram uma tartaruga no topo do poste né?!