Lockdown é remédio amargo, mas necessário para conter a disseminação da Covid-19 na região; diz presidente da Amapar

logo-face
logo-face
Lockdown é remédio amargo, mas necessário para conter a disseminação da Covid-19 na região; diz presidente da Amapar

A sugestão do fechamento de alguns setores na região partiu da Superintendência Regional de Saúde de Patos de Minas através da gerente do órgão Noemi Portilho. Ela enviou aos municípios da região, uma recomendação de lockdown geral e toque de recolher para conter o avanço da pandemia. Inclusive em entrevista ao jornalismo da Rádio Clube98, Noemi disse que não há vagas em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) pelo SUS (Sistema Único de Saúde), por isso seria necessário esse lockdown na região.

Após a sugestão, diversas prefeituras decidiram depois de análise acatar a decisão. De acordo com o prefeito do município de Carmo do Paranaíba e presidente da Amapar - Associação dos Municípios da Microrregião do Alto Paranaíba, Cesar Caetano, os números da região são alarmantes. “O que aconteceu em Coromandel e região com pacientes tendo que serem transferidos para outras regiões nos preocupou ainda mais”, disse. Ainda segundo o prefeito, toda a região entendeu que as medidas são de forma global, senão o sistema de saúde vai entrar em colapso.

Em Carmo do Paranaíba, informou Cesar Caetano, a ocupação esta em 100% dos leitos no município. “Há 4 dias temos registrado mortes  aqui por causa da Covid-19. Estamos tentando nos organizar para evitar mortes e a estagnação do setor de saúde. Até 1º de janeiro tínhamos cerca de 500 casos, em 45 dias avançamos praticamente outros 500. Eram 10 mortes, agora são 21 em Carmo do Paranaíba. È essa velocidade do avanço da doença que nos preocupa”, falou o prefeito.

Essa semana, representantes dos prefeitos da região estiveram reunidos com o governador em Araxá cobrando maior atenção por parte do governo do estado. “È na porta de nossas unidades de saúde que o povo esta batendo buscando ajuda para respirar, e é nosso dever enquanto gestores públicos buscar solução. Lockdown é remédio amargo, mas necessário para conter a disseminação da covid-19 na região nesse momento”, concluiu.

 

 

 

 

Comentários