Em reunião com Copasa, prefeitura cobra providência urgente para regularizar abastecimento

logo-face
logo-face
Em reunião com Copasa, prefeitura cobra providência urgente para regularizar abastecimento

Convocados pelo prefeito José Eustáquio Rodrigues Alves, representantes da Copasa em Patos de Minas estiveram no gabinete dele, na manhã desta quarta-feira (8), para explicar por que alguns bairros da cidade estão sofrendo com a falta de água nos últimos dias. O chefe do Executivo também cobrou esclarecimentos sobre quais medidas estão sendo tomadas para solucionar o problema e evitar desabastecimento mais acentuado. As informações foram prestadas pelo gerente regional, Saulo de Lima Bernardes, pela superintendente, Cristiane Carneiro Gomes da Silva e pelo instrutor da companhia, Júlio César Caetano da Silva.

Segundo Cristiane da Silva, a interrupção temporária do fornecimento de água nos domicílios deve-se, sobretudo, ao aumento do consumo, esse motivado pela elevação da temperatura não só em Patos de Minas como em todo o Oeste e Noroeste de Minas Gerais. Ainda conforme ela, essa mudança de comportamento vem sendo observada nos últimos dez dias e, mesmo a empresa aumentando de 32 para 40 milhões a produção diária de litros d'água, não tem sido suficiente para atender toda a demanda da população. "Como estratégia, temos direcionado água para alguns bairros e promovido a intermitência no abastecimento", explicou.

A expectativa da Copasa é solucionar essa questão em poucos dias, e a estratégia é ampliar a capacidade de bombeamento na estação de modo a fazer a água chegar principalmente na parte alta da cidade. "Por isso já contratamos, e está chegando hoje na cidade, três grupos geradores para acionar as bombas reservas", contou a superintendente, acrescentando: “Paralelamente a isso, vamos antecipar a obra de ampliação do nosso sistema, licitando-a ainda este ano. Esse projeto contempla, entre outras coisas, a construção de novos reservatórios e a ampliação de adutoras”.

Questionados pelo prefeito sobre possível desabastecimento de água potável, os representantes da Copasa disseram que não há esse risco. Eles explicaram que o volume de água do Rio Paranaíba é mais que suficiente para atender a demanda de consumo de Patos de Minas, mas isso não quer dizer que o consumo consciente desse recurso hídrico não deva ser feito. “Todos temos que colaborar, ter bom senso no uso da água. Mas, juntamente a isso, a Copasa deve tomar as providências em regime de urgência para atender nossa comunidade de modo adequado. Foi isso que reiteramos nessa reunião de hoje”, disse o prefeito.

Comentários

  • Fernanda Abadia Oliveira

    Comentário enviado em - 10/10/2020

    Não há água suficiente. Constantemente temos ficado sem água. Estou há mais de 24horas sem água. Não tem água para beber, lavar roupa, tomar banho ou dar descarga. Bairro Boa Vista.