Comerciantes de Patos rejeitam antigo ‘Minas Consciente’ e esperam retomada, após mudanças no programa

logo-face
logo-face
Comerciantes de Patos rejeitam antigo ‘Minas Consciente’ e esperam retomada, após mudanças no programa

Entidade representante do comércio de Patos de Minas lançou campanha contra o “Minas Consciente”. Para o Sindcomércio, o antigo formato do programa prejudica pequenos negócios e gera desemprego. Depois do anúncio de um novo modelo para retomada da economia, representantes do setor aguardam com ansiedade as novas diretrizes e esperam reabrir antes do dia dos pais. No entanto, como a cidade regrediu para a chamada “onda verde”, dentro do modelo atual do plano, as expectativas do setor ficaram frustradas.

“O Sindcomércio Patos de Minas não apoia o formato atual do Plano Minas Consciente do Governo de Minas. Estamos do seu lado, que é comerciante, empresário e todo cidadão que acredita que medidas intransigentes podem prejudicar ainda mais a economia do nosso estado sem a devida efetividade do cuidado com a saúde”, criticou a entidade em sua página no Facebook.

Até o fechamento dessa reportagem, a entidade não havia se posicionado sobre as mudanças feitas no programa. Entretanto, na tarde de ontem, o Sindcomércio alertou para o risco de desemprego, após Patos de Minas regredir para a chamada “onda verde” e fechar o comércio considerado não essencial. Essa decisão frustrou os planos do setor, que esperava reabrir já na próxima semana e tentar recuperar os prejuízos com vendas para o dia dos pais.

Os comerciantes terão de esperar até o dia seis de agosto, quando as novas diretrizes do “Minas Consciente” serão publicadas. Eles esperam a reabertura, já que os números da Capital do Milho – na avaliação do grupo – favorecem a retomada, levando em conta as medidas de prevenção. Até lá, o comércio seguirá fechado, com o funcionamento apenas dos setores considerados essenciais, como por exemplo, farmácias, supermercados e similares.

Por: redação Clube Notícia

Comentários