Prefeito quer contratar diretor para Hospital de Campanha e pagar gratificação para servidores, mas vereador diverge

logo-face
logo-face
Prefeito quer contratar diretor para Hospital de Campanha e pagar gratificação para servidores, mas vereador diverge

A Prefeitura de Patos de Minas e a Câmara Municipal, mais uma vez, travam uma disputa por conta de um projeto de lei. O município enviou para a Casa, proposta que garante, aos servidores da saúde, que atuarem no Hospital de Campanha, uma gratificação de 50% sobre o salário. Além disso, o texto também cria um cargo de diretor para o centro da COVID-19, com vencimentos superiores a 9 mil reais por mês, e  carga horária de 24h semanais. O vereador Isaías Martins (DEM) divergiu da proposta. Ele acredita que a gratificação tem de ser para todos os funcionários da saúde e vê com desconfiança a criação de um novo cargo.

“Nós não vislumbramos a importância da criação deste cargo que aí [no projeto] está mencionado. Nós temos agora é que cortar gastos. E temos que ver de onde virá esse dinheiro”, disse o vereador em entrevista à Rádio Clube 98. Além disso, o parlamentar explicou que o Hospital de Campanha de Patos de Minas ainda não está credenciado, ou seja, não receberá verbas do Estado e do Governo Federal, para custear os tratamentos.

Para o parlamentar, todos os profissionais de saúde “são merecedores” da gratificação. Ele entente que o setor, trabalhando ou não no Hospital de Campanha, pode entrar em contato com o novo coronavírus, e estão na linha de frente ao combate à doença. “Nos postos, os agentes da vigilância e outros. São várias pessoas e nós temos que beneficiar a todos, se der para beneficiar”, explicou.

A Prefeitura também pretende criar um cargo de médico diretor do centro de COVID-19. Segundo o texto em análise na Câmara, o profissional receberá R$ 9.830,62 e terá jornada semanal de 24h, podendo também realizar plantões. Esse trecho não repercutiu bem entre os vereadores, como lembrou o vereador Isaías Martins. O projeto de lei está sob vista do parlamentar Democrata, mas deve ser votado, em reunião extraordinária, na próxima terça-feira. Os vereadores devem fazer alterações.

Comentários

  • Kamila Cristina silva

    Comentário enviado em - 15/05/2020

    Pensei que a prefeitura não tinha dinheiro e estava cortando os gastos, já que suspendeu os salários dos estagiários.

  • Na Real

    Comentário enviado em - 15/05/2020

    Achava eu que o "PREFEITO", era só "Incompetente, mas não, é desonesto também! Pagar um salário desse por vinte quatro horas de serviço, nem em país de primeiro mundo o profissional não recebe! Agora dar gratificação para um servidor, que esta executando a sua função, é de uma desonestidade sem tamanho! Quando o profissional, assume uma profissão, todas elas tem o seu risco, porque se o funcionário não esta fazendo nada além da sua função, tem que receber gratificação! Se a "Prefeitura", estivesse nadando em dinheiro já seria de um grande desperdício, mas quem garante que este hospital de campanha vai funcionar, se até agora não foi necessário á sua necessidade! Estou achando que vai ser necessário fazer uma campanha, para arrecadar "ÓLEO DE PEROBA". para passar na cara do prefeito! Como pode, uma pessoa se dizer tão culto, esta achando que a população é tão "Imbecil", para ver o caminho que ele esta tomando?! Sr. Prefeito, pare de usar á mascara, e coloque uma "CUECA" na cara, pois as suas ações estão tão imoral, como andar pelado na rua, com os seus órgãos genitais todos amostra!

  • Lindomar Santos

    Comentário enviado em - 16/05/2020

    É, será que a farra com o dinheiro público nunca vai acabar?